logo.gif












Evolução do Homem Primitivo
 
crânio.jpgA pesquisa relacionada à origem do homem é algo sempre recorrente no mundo científico. Dados de como e onde ele surgiu são alvos de uma ciência chamada de Antropologia. Ela estuda o ser humano a partir de análises de fósseis pré-históricos, do estudo de seus aspectos físicos e por quais etapas atravessou. As teorias que permeiam esse ramo pretendem descrever a evolução do homem primitivo sobre a Terra.

Estima-se que a espécie humana tenha se originado próximo à Etiópia, na África, ou quem sabe na Ásia Central e, a partir daí, tenha migrado para outras regiões da Ásia, África e Europa; logo depois, indo para o Continente Americano. Os dados calculam que esse acontecimento tenha, mais ou menos, 3,5 bilhões de anos.

Os hominídeos surgiram nessa época. Essas criaturas pertenciam aos australopithecus, grupo de mamíferos que caminhavam sobre os dois pés, e viveram num período de 5 milhões a 1 milhão de anos a.C. Foi então que desapareceram. Seus parentes mais próximos eram os símios. Além de possuírem o mesmo ancestral comum, os ramapithecus, conviveram juntos durante milênios.

Segundo estudiosos, as pesquisas e achados correspondentes à origem do homem abrem uma lacuna entre o período em que os seus ancestrais se afastaram dos símios. Dá-se o nome de Elo Perdido a esse paralelo.

Teoria do Evolucionismo

Essa teoria fora citada na obra intitulada “A Origem das Espécies” por Charles Darwin. Esse livro, publicado em 1859, explica a evolução de todos os animais, inclusive a do homem. De acordo com Darwin, os humanos surgiram a partir dos primatas. As modificações físicas começaram a ocorrer por causa do clima, alimentação e lugares por onde passaram.

As transformações físicas em nossos ancestrais se perpetuaram durante milhões de anos. Com grandes dificuldades, percorreram caminhos e sobreviveram ao desconhecido. Eles eram nômades, ou seja, grupos coletores que não possuíam moradia fixa, andavam em bandos e viviam da coleta (frutos e raízes), da caça, da natureza e tudo era comunitário. Com o passar dos tempos, descobriram que manipular e fabricar alimentos variados, além de domesticar os animais.

Ao observar a natureza, descobriram como fazer o fogo. Essa descoberta estabeleceu grandes mudanças em suas vidas, como um aquecedor contra o frio, defesa contra os animais predadores, caça e preparo do alimento.

Logo em seguida, tornaram-se sedentários, pois aprenderam a semear e, com isso, ocupavam por mais tempo o mesmo pedaço de terra.

O que diferencia o homem dos outros animais é a capacidade criadora e pensante. Ao fabricar ferramentas, o homem teve que aprimorar o nível de suas habilidades. Esse foi um fator que serviu para o aumento do tamanho do cérebro.

O homem primitivo (homo habilis) visualizava a pedra como um instrumento e começava a lapidá-la. Essa atividade exigia um alto nível de imaginação e percepção. Com o desenvolvimento dessas técnicas, como o ato de lascar a pedra, a raciocínio do homem primitivo evoluía, permitindo a preparação para outras atividades mais complexas.

O surgimento do Homem pode ser dividido entre os seguintes tipos:

Australopithecus

Esse tipo humano viveu no período Paleolítico, ou da Pedra Lascada, há 3 milhões de anos. Marcou o surgimento do Homem-símio. Era bípede, com postura ereta, tinha as mãos livres para usar objetos e utensílios coletados da natureza. Decorrente disso, suas mandíbulas e a arcada dentária começaram a diminuir. Essa espécie desapareceu da Terra na mesma região onde havia aparecido, na África e, ainda assim, por motivos desconhecidos. Sua altura fica entre 1 metro e 1,5 metro. O cérebro era pequeno (cerca de 450 a 500 cm³).

Homo Habilis

Essa espécie habitara o Planeta Terra há 2 milhões de anos. Era parecido com o homem atual, fabricava machados de mão e cavava a terra em busca de raízes. Alimentava-se da carne de animais caçados. Seu cérebro media de 650 a 800 cm³.

Homo Erectus


Essa espécie viveu há 1,5 milhão de anos. Eles viviam em grupos, moravam em cavernas e utilizavam armas e utensílios de madeira e ossos. A pedra também era utilizada, sendo trabalhada para ficar com as duas faces cortantes. Sua altura era de 1,50 metro a 1,60 metro. O cérebro desse tipo humano já era ampliado, cerca de 900 a 1.100 cm³, implicando em mais inteligência.

Homem de Neanderthal


Esse tipo humano recebe esse nome por ter sido encontrado no lago Neander, na Alemanha, há 100 mil anos. Ele possuía capacidade de pensamento abstrato e de fala. Também realizam rituais, que provavelmente seriam religiosos. A fabricação de instrumentos iniciou-se a partir dessa etapa. O Homem de Neanderthal sumiu do planeta por volta de 35 mil anos atrás; os motivos ainda são desconhecidos. Sua altura média, aproximada, era de 1,60 metros Suas pernas eram curtas e o corpo era mais robusto. O cérebro media 1.500 cm³. Pertenciam ao primeiro ramo de Homo Sapiens.

Homem de Cro-magnon

Essa classe pertencia ao 2º ramo de Homo Sapiens, surgida há 70 mil anos, e era capaz de criar diversos instrumentos e armas feitas de pedra e ossos. Já coziam os alimentos que seriam consumidos. Praticaram pinturas rupestres e escultura de arpões, anzóis e agulhas de osso. O homem de Cro-magnon era um grande pescador e caçador. Sua inteligência já estava em um patamar bastante evoluído. A espécie foi responsável pelo povoamento da Oceania e da América, além de dar origem ao homem atual. Seu cérebro media 1.500 cm³.

Homo Sapiens Sapiens  

Esse tipo humano já é bem mais recente: surgiu há 12 mil anos. É caracterizado por aspectos físicos modernos, passa a ter uma vida mais sedentária e abandona a coleta para a produção dos alimentos. Seu cérebro é bem mais evoluído que de seus antepassados, medindo de 1.500 a 1.600 cm³.  

Pré-História
Períodos Pré-Históricos
Evolução do Homem
Dinossauros
Fale Conosco
Mapa do Site